quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

A mãe do Senhor vem a mim...



Depois de dizer seu "SIM" no encontro solitário com o anjo, Maria ficou literalmente grávida de Deus. Ela foi invadida por uma alegria nova, pacífica. Depois, sentiu a necessidade de comunicar aos outros sua alegria, vinda de Deus.Maria sai de Nazaré e dirige-se para a região montanhosa de Judá para visitar sua parenta Isabel, esposa de Zacarias, a qual tinha concebido na sua velhice. Maria leva Jesus, "com toda pressa", como a esperança do mundo, através dos caminhos do nosso mundo, para suscitar a alegria e o louvor.

Por ser uma viagem longa e arriscada, certamente Maria não viajou sozinha, mas com algumas caravanas de mercadores e devotos que se dirigiam a Jerusalém. Eram necessários três ou quatro dias de viagem.

A fé de Maria a faz disponível, obediente, pronta. Ela põe ao serviço dos outros o que recebeu por pura graça. Quando Deus entra e atua na história das pessoas, move-as para irem, "apressadamente", ao encontro dos outros, para serví-los nas suas necessidades. Quem tem consigo o Salvador não pode guardar só para si. Tem que levá-lo aos que estão longe, aos que estão esperando por ele, deixando nossas comodidades, enfrentando todas as dificuldades, superando todos os obstáculos, por mais difícil que seja o caminho até chegar a eles.

Com a saudação de Maria, Isabel sente a criança dar pulos de a alegria em seu ventre. É João antecipando sua missão profética de precursor de Jesus: ainda incapaz de falar, dá pulos de alegria pela chegada do Messias.

Na medida em que formos portadores de Cristo, nossa presença e nossas palavras produzirão a alegria nas pessoas que encontramos, como no encontro de Maria com Isabel.

Maria é reconhecida por Isabel como aquele sobre quem foram derramadas as bençãos de Deus, como a agraciada de Deus. É proclamada abençoada entre todas as mulheres, por ser a portadora do Messias. "Bendita és tu entre as mulheres..." O grito de alegria de Isabel expressa a chegada da salvação que entra na nossa história através de Maria.

Maria é bendita entre as mulheres porque foi favorecida por Deus, porque Deus a agraciou com seu amor. Ela é a Mãe do Senhor! Isabel se confessa indigna de receber "a Mãe do seu Senhor"; mas, ao mesmo tempo considera-se feliz por ser visitada por ela.

"Feliz és tu , Maria que acreditaste..." Isabel proclama-a feliz, bem-aventurada, pela sua fé; por Maria ouvir, acolher e praticar "o que te disse o Senhor", a Palavra de Deus. Maria é modelo de fé porque concebeu Jesus antes na fé do que no ventre.

O encontro entre as duas mães foi um encontro de comunicação e de partilha da experiência de Deus, do Mistério que cada uma delas carregava, na mais profunda alegria, do mais profundo de sua fé. No nosso mundo agitado, o imenso vazio que tantas vezes sentimos, é causado pela falta de comunicação daquilo que é mais profundo e mais essencial em nós. Esse vazio não pode ser preenchido com o consumo de bens materiais.

Quando movidos por Deus, vamos ao encontro dos outros, nos abrimos mutuamente, comunicamos as moções e acões de Deus em nós, também nós experimentamos uma alegria nova, de uma profundidade que não tem comparação com as alegrias causadas pelas comunicações habituais.
A alegria invade todo este Mistério. Alegria pela chegada da salvação! A presença de Jesus em nossas vidas traz sempre alegria. A falta da verdadeira alegria é um sinal de que não experimentamos a presença do amor de Deus em nossas vidas, da falta de fé e de esperança.

Nenhum comentário: